Introdução ao Windows Powershell

Windows Powershell

As Interfaces gráficas são interessantes pois nos permitem descobrir o que podemos fazer no sistema. As interfaces gráficas tornam o aprendizado de ferramentas mais fácil. Porém, existe um limite de produtividade que podemos conseguir usando GUIs.

Já a linha de comandos, apesar de ser mais trabalhosa e demorada para aprendermos a usar, nos permite automatizar tarefas e realizar trabalho com muita rapidez, além de nos permitir também criar ferramentas com funcionalidades que não estão presentes nas interfaces gráficas dos programas que utilizamos para gerenciar o sistema.

Essa é a idéia do Windows Powershell – um sistema que traz toda a funcionalidade administrativa do sistema para o shell, nos dando a oportunidade de automatizar tarefas repetitivas, criar novos processos e muito mais sem o uso da interface gráfica.

Versões e Requisitos:

Há diversas versões do Windows Powershell. Falaremos sobre as versões 2, 3 e 4:

Versão 2 – Disponível nos sistemas WIndows XP e posteriores, e Windows Server 2003 e posteriores. Necessita do .Net Framework 2.0 no mínimo, sendo recomendado o .Net Framework 3.5.

Versão 3 – Disponível nos sistemas WIndows 7 e posteriores, e Windows Server 2008 R2 e posteriores. Necessita do .Net Framework 4.5. Vem por padrão no Windows 8.1.

Versão 4 – Disponível nos sistemas WIndows XP e posteriores, e Windows Server 2003 e posteriores. Necessita do .Net Framework 2.0 no mínimo, sendo recomendado o .Net Framework 3.5.

Usaremos em nossos tutoriais o sistema operacional Windows Server 2012. Se você estiver usando o Windows 8 não notará basicamente nenhuma diferença, exceto por alguns comandos administrativos que porventura usaremos. Caso esteja usando o Windows 7, alguns comandos poderão se comportar de forma ligeiramente diferente, ou estarem ausentes. Recomendamos que você use o Windows 8 ou que instale o Windows Server 2012 em uma máquina virtual para poder estudar e desfrutar ao máximo do que o Powershell pode oferecer.

O Windows 2012 vem com quatro “variantes” do Powershell: 64 bits e 64 bits ISE, e 32 bits e 32 bits ISE. Usaremos a variante mais comum, 64 bits, e ocasionalmente usaremos também a versão 64 bits ISE (Integrated Scripting Environment, com uma janela gráfica).

Para executar o Powershell você pode abrir a caixa Pesquisar no Windows, digitar “Powershell”, e os itens a seguir aparecerão:01

Clique no item desejado para abrir o Powershell.

Opcionalmente, no Windows Server 2012 você pode abrir o Powershell 64 bits clicando diretamente no ícone da barra de tarefas:02

A versão do Powershell que usaremos é a 3.0. Recomendamos atualizar seu Powershell caso a versão instalada em seu computador seja anterior. Para saber qual a versão instalada digite o seguinte no prompt do Powershell e pressione Enter:

$PSVersionTable

03

Na primeira linha da saída aparece a opção PSVersion cujo valor, 3.0, é a versão instalada do Powershell.

Antes de começar a usar o Powershell, podemos personalizar a aparência de seu console. Para isso clicamos na Caixa de Controle (canto superior esquerdo da janela), e assim poderemos alterar propriedades tais como tamanho da fonte, tamanho da janela, posicionamento, cores, etc.04

Recomendo que as propriedades Tamanho do Buffer de Tela e Tamanho da Janela no menu Layout tenham os mesmos valores, evitando assim o aparecimento de barras de rolagem, que podem ser incômodas ao digitarmos comandos mais longos.

Também usaremos ocasionalmente o ISE, que pode ser visto na figura abaixo:05

Ele é composto de três partes: Painel do editor de Scripts, Painel do Console (onde digitamos comandos) e Explorador de Comandos. Falaremos mais a respeito do uso do ISE no momento apropriado.

Vamos testar alguns recursos que irão facilitar a digitação de comando no Powershell. Abra o console e experimente as seguintes tarefas:

1. Digite Get-S e então pressione a tecla Tab algumas vezes, e também Shift-Tab. Você notará que o powershell irá lhe apresentar diversos comandos que podem corresponder aos caracteres digitados. Quando o comando desejado for encontrado, você pode digitar Enter para executá-lo, ou continuar a digitar mais parâmetros.

2. Digite o comando cd C:\, e então pressione novamente a tecla Tab repetidas vezes. O powershell lhe apresentará vários endereços de pastas a partir do diretório passado como parâmetro para o comando (C:\).

3. Digite a sequência Set-E, e pressione Tab para completar o comando; agora, digite um hífen (-) e então pressione Tab novamente repetidamente, para ver as opções de parâmetros que são apresentadas.

O mesmo pode ser feito no ISE, porém com uma vantagem: lá podemos usar o Intellisense. O Intellisense nos mostra um menu ao digitarmos, de onde podemos selecionar comandos ou parâmetros com muita facilidade. Veja um exemplo do Intellisense no ISE:06

Digitei apenas Get- e uma lista suspensa (o Intellisense) apareceu me dando sugestões de comandos para completar a digitação. Basta selecionar uma delas e pressionar Tab para prosseguir.

No próximo artigo veremos como digitar e executar comandos no Powershell.

Assista ao vídeo da Bóson Treinamentos sobre o assunto:

 


EuSobre Fábio dos Reis

Fábio dos Reis trabalha com tecnologias variadas há mais de 25 anos, tendo atuado nos campos de Eletrônica, Telecomunicações, Programação de Computadores e Redes de Dados. É um entusiasta de Linux e Open Source em geral, Astrônomo Hobbysta e estudante de idiomas, além de ministrar cursos e palestras sobre diversas tecnologias em São Paulo.

Sobre Fábio dos Reis (1370 Artigos)
Fábio dos Reis trabalha com tecnologias variadas há mais de 25 anos, tendo atuado nos campos de Eletrônica, Telecomunicações, Programação de Computadores e Redes de Dados. É um entusiasta de Unix, Linux e Open Source em geral, adora Eletrônica e Música, e estuda idiomas, além de ministrar cursos e palestras sobre diversas tecnologias em São Paulo e outras cidades do Brasil.
Contato: Website

3 Comentários em Introdução ao Windows Powershell

  1. Boa noite Fabio,
    Vi seus vídeos alem de sua materia e gostei muito da didática e conteúdo!!

    Gostaria de dar uma sugestão para melhor compreensão do uso e automatização das tarefas de admin de redes com powershell, tenho duvidas por exemplo de como saber que a partição que eu quero e ela mesma “type” ou “hash” ao rodar como scrypt para deixa-la com uma letra padrão?

    Abraço

  2. Alexandre // 24/12/2016 em 15:42 // Responder

    Fabio, passei em uma prova de BD graças a seus tutoriais, obrigado.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*