Qual a diferença entre IP Estático e IP Dinâmico?

Diferença entre IP Estático e IP Dinâmico

Os endereços IP são compostos por quatro bytes ou octetos. Cada octeto pode representar um número decimal de 0 a 255 (números de oito bits). Portanto um endereço IP é formado por quatro números, cada um no intervalo entre 0 e 255.

Por exemplo, o endereço 192.168.0.1 é um endereço comumente usado em roteadores domésticos, sendo composto dos octetos (em decimal) 192, 168, 0 e 1. Esse endereço (ou outro similar) vem configurado de fábrica no equipamento, e pode ser alterado manualmente pelo usuário.

Já as máquinas conectadas a esse roteador não possuem, geralmente, endereços configurados manualmente. A configuração é automática – ou mais precisamente, dinâmica. Desta forma, basta conectar o equipamento à rede e ele automaticamente obtém um endereço IP a partir de um servidor de IPs na rede – chamado de Servidor DHCP.

Desta forma, temos dois tipos de endereços IP disponíveis em uma rede – ou melhor, duas formas distintas de atribuição de IPs aos equipamentos: IPs atribuídos de forma manual, ou estática, e IPs atribuídos de forma automática, ou dinâmicos.

Sendo assim, a diferença entre endereços IP estáticos e dinâmicos diz respeito à forma como os endereços são atribuídos e se eles permanecem constantes ou se mudam com o tempo. Vejamos as diferenças entre esses dois tipos de IPs e suas aplicações.

1. Endereço IP Estático

Um endereço IP estático é aquele que é configurado manualmente em um dispositivo; eventualmente, pode ser atribuído por um servidor DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) para permanecer constante. Esse endereço IP não muda, a menos que seja reconfigurado manualmente.

Nesse caso, cada computador deve ter o seu IP programado manualmente, de acordo com a faixa de IPs reservada para a rede – em redes locais são geralmente IPs privados, e na Internet, IPs públicos.

Ao configurarmos um IP estático, temos que informar também a máscara de sub-rede a ser usada, e devemos tomar cuidado para não atribuir IPs iguais para máquinas diferentes.

Os IPs estáticos podem ser usados em redes que não possuem DHCP, e também nos casos em que queremos ter certeza absoluta de que o IP não mudará de um dia para outro.

Ou seja, os usamos em equipamentos cujo endereço deve permanecer constante por um período longo de tempo (talvez anos), como em roteadores, servidores de rede, endereços de websites, impressoras de rede, entre outros.

2. Endereço IP Dinâmico

Todos os equipamentos de uma rede baseada em TCP/IP precisam ter um endereço IP. Esses endereços não são aleatórios, existindo regras que os definem. O método mais comum para a definição desses endereços é o uso de um servidor DHCP.

Um servidor DHCP é um computador ou um equipamento de rede capaz de distribuir endereços IP para os demais computadores, como um Servidor DHCP Dedicado (Linux / Windows Server) ou um DHCP embutido em um roteador, extremamente comum em redes domésticas e corporativas.

O DHCP é um protocolo de serviço TCP/IP que permite executar configuração dinâmica (automática) de hosts em uma rede, sendo um sucessor dos antigos protocolos RARP e BOOTP. Ele permite conceder endereços IP, máscaras de sub-rede, gateway padrão, servidores DNS e dezenas de outras configurações aos hosts.

Um endereço IP dinâmico é um endereço que é atribuído automaticamente por um servidor DHCP a um dispositivo sempre que ele se conecta à rede. São comuns em redes residenciais e comerciais, pois permitem uma alocação eficiente de endereços IP privados sem a necessidade de configurar manualmente cada dispositivo, o que pode ser extremamente trabalhoso, dependendo da quantidade de equipamentos a configurar (PCs, impressoras, smartphones, notebooks, etc.).

Endereços IP de máquinas cliente conectadas à Internet (como nossos PCs convencionais) também costumam usar endereçamento dinâmico, com IP atribuído pelo servidor DHCP de nosso provedor de serviços.

Uma característica interessante dos endereços dinâmicos é que esses endereços IP podem mudar cada vez que o dispositivo se reconecta à rede ou periodicamente conforme determinado pelo servidor DHCP – daí o nome dinâmicos.

O que é melhor, usar endereço IP estático ou dinâmico?

Isso depende da situação. Para configuração de endereços em estações, dispositivos móveis e computadores em geral em uma rede doméstica ou corporativa, recomenda-se o emprego de endereçamento IP dinâmico, devido à facilidade e rapidez na atribuição dos endereços aos equipamentos.

Já para a configuração de endereços em servidores de rede, devem-se usar endereços IP estáticos, para garantir o acesso ininterrupto a essas máquinas, e também websites devem usar endereços estáticos, pelo mesmo motivo.

Conclusão: qual a diferença entre IP dinâmico e IP estático?

Resumindo, a diferença entre endereços IP estáticos e dinâmicos é essencialmente sobre como esses endereços são atribuídos e se eles permanecem constantes ou mudam com o tempo. Os endereços IP estáticos são configurados manualmente e permanecem fixos, enquanto os endereços IP dinâmicos são atribuídos automaticamente por um servidor DHCP e podem mudar periodicamente.

Os endereços IP estáticos são ideais para dispositivos que exigem acessibilidade constante e não devem mudar, como servidores de rede e websites. Por outro lado, os endereços IP dinâmicos são mais práticos para computadores e dispositivos que se conectam ocasionalmente à rede, como laptops e smartphones, devido à sua atribuição automática e flexibilidade.

 

Sobre Fábio dos Reis (1195 Artigos)
Fábio dos Reis trabalha com tecnologias variadas há mais de 30 anos, tendo atuado nos campos de Eletrônica, Telecomunicações, Programação de Computadores e Redes de Dados. É um entusiasta de Ciência e Tecnologia em geral, adora Viagens e Música, e estuda idiomas, além de ministrar cursos e palestras sobre diversas tecnologias em São Paulo e outras cidades do Brasil.
Contato: Website

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*