Samsung lança chips Artik para Internet das Coisas

Samsung lança chips Artik para Internet das Coisas

A Samsung revelou uma nova família de chips para serem usados na Internet das Coisas, colocando-a em competição direta com a Intel, Qualcomm e outras empresas na busca para conectar tudo.

Young Sohn, presidente da Samsung Electronics disse que a linha de processadores Artik combina hardware e software para auxiliar as empresas a construir rapidamente dispositivos conectados à Internet. Alex Hawkinson — CEO da companhia SmartThings, uma startup que desenvolve projetos para  Casas Inteligentes que a  Samsung adquiriu no ano passado — também revelou a nuvem aberta SmartThings que tornará mais fácil e mais rápido para os fabricantes de dispositivos e outras empresas criarem aplicações para os produtos.

Há três variantes do chip Artik: Artik 1, Artik 5 e Artik 10, nos quais cada chip possui poder de processamento maior e capacidades mais complexas. Os chips irão custar de menos de US$10 até cerca de US$100, disse Sohn, e serão destinados a tudo, desde simples dispositivos rastreadores até drones e hubs para casas inteligentes. Tanto os chips quanto a nuvem SmartThings estão disponíveis hoje para serem usados em novos dispositivos da Internet das Coisas.

Artik 1 Samsung IoT

Artik 1

artik-chip-samsung-5

Artik 5

Artik 1 Samsung IoT

Artik 10

“O que é impotante é que estas são máquinas inteligentes que irão tornar nossas vidas melhores”,  disse Sohn durante um discurso na IoT World en San Francisco – CA

Os novos processadores da Samsung seguem um impulso semelhante à Intel. A empresa revelou em Janeiro uma plataforma de processadores para dispositivos vestíveis (wearables) denominada Curie. Esse dispositivo, do tamanho de um botão, inclui um processador, rádio Bluetooth de baixa energia, sensores e é capaz de funcionar por períodos de tempo estendidos com uma bateria do tamanho de uma moeda, ou ainda pode ser recarregado.

Porém o Curie, que é baseado em uma tecnologia de 32 nanômetros, não estará disponível até o segundo semestre do ano, o que dá uma vantagem ao chip Artik da Samsung.

A Samsung vem apostando alto na Internet das Coisas, que é o conceito de usar sensores e outras tecnologias para conectar basicamente tudo o que você pode imaginar à Internet. A empresa de análise Gartner prevê que o número de dispositivos conectados em rede irá disparar de cerca de 900 milhões de unidades em 2009 para 26 bilhões de unidades em 2020, transformando objetos e dispositivos comuns em dispositios inteligentes que podem se comunicar entre si. De acordo com o IDC, o mercado de IoT baterá US$3.04 trilhões no ano de 2020.

Durante a mostra Consumer Electronics de 2015, em Janeiro, a Samsung, liderada pelo co-CEO Boo-Keun Yoon, prometeu que todos os produtos da companhia seriam construídos sobre plataformas que sejam abertas e compatíveis com outros produtos. Yoon também disse que 90% de seus dispositivos – desde smartphones até refrigeradores seriam capazes de se conectar à Internet até 2017. Em cinco anos, todos os produtos em todo o  catálogo da empresa devem ser conectáveis à Internet. A Samsung enviou, no ano passado, cerca de 665 milhões de dispositivos por meio de suas divisões de dispositivos móveis e de eletrônicos.

A Samsung é a maior fabricante de chips de memória e também fabrica processadores para aplicações que servem como controladores de dispositivos, incluindo muitos dos iPhones da Apple.

O chip Artik mais avançado da Samsung usa a mesma tecnoogia que os processadores utilizados nos smatphones da empresa, de acordo com Sohn.

“Tudo já está ajustado, então porque nós não tiramos vantagem da tecnologia desenvolvida para os smartphones e a tornamos disponível para a Internet das Coisas?, ele perguntou durante a conferência.

A Boogio, uma startup que consegue transformar qualquer sapato em um “sapato inteligente” para propósitos como reabilitação, está usando o chip Artik 1 na quinta geração de seu dispositivo. E justamente porque a Samsung já combinou os chips, gerenciamento de energia e sensores, a Boogio pode, em vez disso, se focar em outras características e obter seus produtos mais rapidamente.

O chip Artik irá  “nos habilitar a levar nossa tecnologia para o próximo nível”, disse o CEO da Boogio, José Torres. “O Artik chega em uma hora muito crítica em nosso ciclo de desenvolvimento”.

Fonte: CNET

Sobre Fábio dos Reis (1332 Artigos)
Fábio dos Reis trabalha com tecnologias variadas há mais de 25 anos, tendo atuado nos campos de Eletrônica, Telecomunicações, Programação de Computadores e Redes de Dados. É um entusiasta de Unix, Linux e Open Source em geral, adora Eletrônica e Música, e estuda idiomas, além de ministrar cursos e palestras sobre diversas tecnologias em São Paulo e outras cidades do Brasil.
Contato: Website

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*