Fibras Ópticas: a Tecnologia xWDM – IV

Tecnologia xWDM

Por Renan Drech Catelan

A tecnologia xWDM (Wavelength Division Multiplexing, ou multiplexação por divisão de comprimento de onda) é, de forma simplificada, um protocolo que permite o tráfego de diversas conexões em fibra de um local para outro utilizando apenas um par de fibras ópticas. O xWDM se divide em CDWM (C, de COARSE) e o DWDM (D, de DENSE).

Bandas utilizadas pelo DWDM

Bandas utilizadas pelo DWDM - http://www.china-cable-suppliers.com/

Como funciona o DWDM

Para uma melhor explicação sobre esta tecnologia, usarei o DWDM no exemplo a seguir:

A empresa Sauvignon possui dois edifícios, de nomes Cabernet e Merlot. A distância entre eles é de 200km. Para conectar ambos os prédios, a Sauvignon contratou a empresa de telecom Caduceus, que irá prover a fibra ótica. Esse tipo de conexão é conhecido como DARK FIBER.

Com a fibra conectando os dois prédios, os engenheiros instalaram equipamentos de tecnologia DWDM nos dois locais. Os equipamentos de xDWM são compostos por multiplexadores e demultiplexadores (MUX e DEMUX, respectivamente), que tem a função conectar os equipamentos da rede da empresa e fazer com que todos os sinais de luz desses equipamentos sejam enviados através de uma única fibra. Isso é feito pelo MUX e DEMUX.

O comprimento de onda em que uma rede DWDM trabalha varia entre entre 1271nm e 1611nm, dividido entre as bandas O, E, S, C e L.
Neste caso foi escolhida a banda C, que provê até 80 cores (conexões) diferentes. Para enviar os dados, o MUX de Cabernet multiplexa as 80 conexões que os engenheiros escolheram e configuraram para que cada conexão possuísse um comprimento de onda diferente um do outro.
Dois servidores, um de arquivos e um de impressão foram conectados ao MUX e suas conexões de fibra, que até a conexão com o MUX era de 1510nm conectados através de fibra monomodo, depois de multiplexados serão de 1520.25nm e 1521.02nm. Veja que cada conexão possui um comprimento de onda (wavelength) diferente e é por isso que damos o nome de cor.

O equipamento no outro prédio, em Merlot, deverá demultiplexar ("DEMUX") os comprimentos de onda de 1520.25nm e 1521.02nm de volta para 1510nm em duas interfaces diferentes.

Porém neste exemplo também deve ser entendido que foi utilizado um repetidor de linha. Em cerca de 80km a 100km a atenuação é grande o suficiente para precisar de um repetidor. Também é necessário que em ambos os locais tenhamos um Optical Supervisory Channel (OSC), que é o equipamento que gerencia a rede DWDM.

Multiplexação de fibras ópticas

O DWDM trabalha na prática alocando pequenos intervalos do espectro eletromagnético e convertendo sinais de mesma frequência em frequências diferentes para tráfego num único meio (fibra). Pense no DWDM como a rede de rádio FM é transmitida. Todas as radios FM utilizando o mesmo meio (o ar) porém utilizam frequências diferentes. O DWDM trabalha da mesma forma porém o meio de transmissão é uma única fibra óptica.

Por fim, considere que o assunto de DWDM é muito vasto e maior do que esta introdução.

Anterior: Tipos de Conectores de Fibras Ópticas – III

Próximo: O que é FTTx - V


Sobre Renan Drech Catelan 

O ano de 2018 marca dez anos que foi aluno de Fábio dos Reis. 

Talvez a lição mais importante foi ter aprendido a aprender. Odeia ambiente corporativo e descobriu que seu lugar é se escondendo em datacenters.

Quanto mais velho o computador, mais vai gostar, independentemente do sistema e mesmo nas horas de folga fica trabalhando por que não para de quebrar e consertar algo.

Renan Drech Catelan é Técnico de Computadores formado pelo Senac São paulo e é graduado em Redes de Computadores pela Faculdade Carlos Drummond de Andrade. Já trabalhou nos Correios de São Paulo, CYLK IT Solutions, entre outras. Está a quase cinco anos trabalhando em Datacenters pela Amazon AWS.

 

Sobre Fábio dos Reis (1250 Artigos)
Fábio dos Reis trabalha com tecnologias variadas há mais de 25 anos, tendo atuado nos campos de Eletrônica, Telecomunicações, Programação de Computadores e Redes de Dados. É um entusiasta de Unix, Linux e Open Source em geral, adora Eletrônica e Música, e estuda idiomas, além de ministrar cursos e palestras sobre diversas tecnologias em São Paulo e outras cidades do Brasil.
Contato: Website

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Tipos de Conectores de Fibras Ópticas - III - Bóson Treinamentos em Tecnologia

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*